Como Vencer Grandes Distâncias

Partícula de Espaço-Tempo – A Menor Distância Entre Dois Pontos

Na matemática teórica os números são infinitos, tanto acima de zero (Positivos), como abaixo dele (Negativos). Também é fácil perceber que entre o número “1” e o numero “2” existem infinitos números, como por exemplo “1.5”, “1.00000001”, “0.00000000001” etc. Assim, partindo-se do número inteiro “1” poderíamos ir nos aproximando do número inteiro “2” sem jamais chegarmos até ele (isso na matemática é claro). O mesmo se aplica a distância cósmicas como o tamanho de nosso Universo (Se é que ele tem um fim).

Mas e na Física que descreve nosso mundo real em números? Seria possível, por exemplo, irmos aproximando a ponta de uma agulha em direção a pele de uma pessoa, indefinidamente sem jamais alcança-la? A pratica nos diz que não, pois haverá um momento em que “aparentemente” a agulha tocará no corpo desta pessoa, tanto que sentimos a dor característica.
Na verdade as coisas não se tocam e o que se tocam são os campos energéticos externos dos átomos que compõem as moléculas e estas, as células. Tudo que conhecemos, seja um diamante, um pedaço de titânio ou uma pessoa são compostos de espaços vazios. Mas será que estes “vazios” são realmente vácuos perfeitos? Não, não o são, pois através deles a luz poderá passar ou ondas de rádio poderão cruzar, atravessando-os.

Mas, e se existir uma “Partícula de Nada” , ou seja, uma partícula possivelmente muito menor que os fótons e gluons mas que seria a base de construção do espaço vazio real, onde, dentro dela, não existiriam as leis da física que conhecemos. Seria um ambiente “fora” do nosso Universo e desta forma, não estaria sujeito as Leis da Fisica que conhecemos. Ela seria a menor fração indivisível tanto de espaço como de tempo, sendo assim um ente físico Único.

Se tivéssemos uma parede construída destas partículas com certeza não poderíamos ver do outro lado e nada poderia atravessa-la, como as ondas de luz por exemplo. Dentro delas, o tempo evidentemente não existiria. Ainda, se fosse possível construir uma maquina ou uma nave cobrindo a superfície externa com uma camada destas particulas ela seria invisível e poderia atravessar a galáxia em frações de segundos sem o risco de se chocar com um asteróide, planeta ou mesmo estrela, pois estas partículas simplesmente atravessariam.

Se em alguns lugares do universo existirem grandes concentrações destas partículas, possivelmente ali seria um verdadeiro túnel para ir de uma ponta a outra do cosmos sem gastarmos energia, pois naquela região especial não há passagem de tempo, não há leis físicas que a impediriam (imagem abaixo). Chamo a atenção de que estes caminhos não são Buracos de Minhocas, são outra entidade cósmica.

Especulando ainda mais, quem sabe se o pensamento ou mesmo a alma (se é que existe), não seja composta também por esta infinitesimal partícula? Muitos fenômenos tidos até agora como paranormais ou atribuídos a espíritos cairiam na área da Física Quântica (ou em um ramo do conhecimento cientifico que ainda não conhecemos). Assim, como estas partículas estariam fisicamente fora do Universo que conhecemos, elas seriam eternas e poderiam existir antes do Big Bang ou mesmo até mesmo depois do grande final, para sempre.

 Abaixo, esquema representando dois hipotéticos planetas afastados milhares de anos anos-luz. Neste “Corredor Cósmico” (em azul),  constituído de “Partículas de Nada” ou “Particulas de Espaço-Tempo“, não existira esta distância, facilitando uma viagem de um ponto a outro sem gasto algum de energia ou tempo.

m31-galáxia-de-andrómeda
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s